Quantas chances de viver loucuras memoráveis a gente desperdiça com essa mania besta de pensar demais?!

Prefiro correr riscos do que me arrepender de não ter feito nada!


Abraça o que te faz sorrir!

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010


...E que venha 2011...
Que neste novo ano tudo seja perfeitamente belo... que todos nós possamos realizar o que não foi possível realizar no ano anterior! Que Deus abençoe a todos cada vez mais! 
 Que tenhamos força para superar os obstáculos dessa vida e em nossos corações, só tenha lugar pro amor e paz!
Porque cada momento é único e a felicidade está em vivê-los com intensidade.   #2011 #felizanonovo
Porque cada momento é único e a felicidade está em vivê-los com intensidade! 

Beijo a todos! 
 feliz ano novooo!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Há quem diga que o impossível é só uma questão de opinião...
Nada será bonito sempre . Nem tudo o que ansiamos teremos, e se voce não acredita nessa “teoria” acostume-se a cair,a quebrar a cara,a frustar-se ,e há quem diga que o impossível é só uma questão de opinião, mas esqueceram de te avisar que opinião sem força é apenas um conceito ou uma teoria pessoal.A vida é cheia dessas frescuras de força. mas só para ter força , já exige de você muita força ,e será sempre assim , mas veja bem quando eu digo que será sempre assim não quero dizer que será sempre perfeito, porque levantar sem cair não existe e crescer sem um dia ser pequeno também não. Os sonhos não caem em nossas mãos como presentes , mas é ai que temos que ter convicção sobre o que são sonhos e qual é o seu .Ninguém vai ser sempre feliz ou feliz pra sempre , nada será sempre perfeito, nem tudo estará ao seu alcance mesmo estando muito perto ,mas agora só nos restas sair por ai e quebrar a cara com nossos própios erros porque afinal você só consegue ver as estrelas, se estiver no escuro. ! 


Onde os sorrisos são falsos ,onde as pessoas dão mais valor a simpatia do que para a a pessoa em si, onde as pessoas machucam as outras sem ao menos pensar no ato ,onde a aparência é mais importante que a essência, onde perdões não são mais sinceros, onde sorrir é obrigação , onde a alma não é mais a janela do corpo.Vivemos em um mundo onde um “vai se foder” é mais sincero do que um “eu te amo” ! 

Sempre quando vai chegando, esse tempo de natal...ano novo, eu lembro de tudo que já passei um dia! Lembro das coisas que ficaram pra trás, das pessoas que já se foram e dos momentos que não voltam mais! Já é tradição chorar em todo ano novo, penso nas pessoas que poderiam está comigo e não puderam, porque foram pro céu... Esse é o tempo que mais lembro do meu pai, lembro de quando era pequena e ele  brincava comigo, são tantas coisas que lembro, nunca vou esquece- lo! Pra mim ele está vivo em cada memória que tenho dele, ele tá no meu coração e nunca sairá de lá! Queria tanto poder abraça-lo, saudade dói tanto! 
É  assim que percebemos o quanto as pessoas significam pra nós... mesmo após tantos anos penso no meu pai a cada dia que passa, e sei que ele me vê lá do céu e sabe o quanto eu o amo!

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010


EM EXCESSO ESTRAGA...

Algumas pessoas acham que ser chique é ser arrogante, antipática; pois bem, se for assim, então eu não sou nada chique. Sou simpática, falo com estranhos e sorrio para eles, mas isso não quer dizer quevocê me conhece ou que é meu amigo.

Algumas pessoas não sabem diferenciar simpatia com bancar a íntima. Explico: conheço uma garota que sai distribuindo beijinhos de Oi pra todo mundo, e por isso acha que é íntima dessas pessoas, &&& sai falando da sua própria vida pra meio mundo. Discrição e semancol passam longe.

Enfim, ou ela precisa de muita atenção ou é muito falsa; de duas, uma. Será que alguém já falou pra ela que tudo em excesso estraga? E que simpatia não tem NADA haver com bancar a amiga?!
A maior aventura de um ser humano é viajar,
E a maior viagem que alguém pode empreender
É para dentro de si mesmo.
E o modo mais emocionante de realizá-la é ler um livro,
Pois um livro revela que a vida é o maior de todos os livros,
Mas é pouco útil para quem não souber ler nas entrelinhas
E descobrir o que as palavras não disseram...

Augusto Cury


domingo, 26 de dezembro de 2010

Temos a mania de achar que amor é algo que se busca. Buscamos o amor nos bares, na internet, nas paradas de ônibus. Como num jogo de esconde-esconde, procuramos pelo amor que está oculto dentro das boates, nas salas de aula, nas platéias dos teatros. Ele certamente está por ali, você quase pode sentir seu cheiro, precisa apenas descobri-lo e agarrá-lo o mais rápido possível, pois só o amor constrói, só o amor salva, só o amor traz felicidade. Há quem acredite que o amor é medicamento. Pelo contrário. Se você está deprimido, histérico ou ansioso demais, o amor não se aproxima, e caso o faça, vai frustrar sua expectativa, porque o amor quer ser recebido com saúde e leveza, ele não suporta a idéia de ser ingerido de quatro em quatro horas, como um antibiótico para combater as bactérias da solidão e da falta de auto-estima. Você já ouviu muitas vezes alguém dizer: "Quando eu menos esperava, quando eu havia desistido de procurar, o amor apareceu." Claro, o amor não é bobo, quer ser bem tratado, por isso escolhe as pessoas que, antes de tudo, tratam bem de si mesmas. O Amor, ao contrário do que se pensa, não tem de vir antes de tudo. Antes de estabilizar a carreira profissional, antes de fazer amigos, de viajar pelo mundo, de curtir a vida. Ele não é uma garantia de que, a partir de seu surgimento, tudo o mais dará certo. Queremos o amor como pré-requisito para o sucesso nos outros setores, quando, na verdade, o amor espera primeiro você ser feliz para só então surgir, sem máscara e sem fantasia. É esta a condição. É pegar ou largar. Para quem acha que isso é chantagem, arrisco-me a sair em defesa do amor: ser feliz é uma exigência razoável, e não é tarefa tão complicada. Felizes são aqueles que aprendem a administrar seus conflitos, que aceitam suas oscilações de humor, que dão o melhor de si e não se autoflagelam por causa dos erros que cometem. 
Felicidade é serenidade. Não tem nada a ver com piscinas, carros e muito menos com príncipes encantados. O amor é o prêmio para quem relaxa. "As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas".

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Faz sentido d+...



"Coitada, foi usada por aquele cafajeste". Ouvi essa frase na beira da praia, num papo que rolava no guarda-sol ao lado. Pelo visto a coitada em questão financiou algum malandro, ou serviu de degrau para um alpinista social, sei lá, só sei que ela havia sido usada no pior sentido, deu pra perceber pelo tom do comentário. Mas não fiquei com pena da coitada, seja ela quem for. 

Não costumo ir atrás desta história de "foi usada". No que se refere a adultos, todo mundo sabe mais ou menos onde está se metendo, ninguém é totalmente inocente. Se nos usam, algum consentimento a gente deu, mesmo sem ter assinado procuração. E se estamos assim tão desfrutáveis para o uso alheio, seguramente é porque estamos nos usando pouco. 

Se for este o caso, seguem sugestões para usar a si mesmo: comer, beber, dormir e transar, nossas quatro necessidades básicas, sempre com segurança, mas também sem esquecer que estamos aqui para nos divertir. Usar-se nada mais é do que reconhecer a si próprio como uma fonte de prazer. 

Dançar sem medo de pagar mico, dizer o que pensa mesmo que isso contrarie as verdades estabelecidas, rir sem inibição – dane-se se aparecer a gengiva. Mas cuide da sua gengiva, cuide dos dentes, não se negligencie. Use seu médico, seu dentista, sua saúde. 
Use-se para progredir na vida. Alguma coisa você já deve ter aprendido até aqui. Encoste-se na sua própria experiência e intuição, honre sua história de vida, seu currículo, e se ele não for tão atraente, incremente-o. Use sua voz: marque entrevistas. 
Use sua simpatia: convença os outros. Use seus neurônios: pra todo o resto. 

E este coração acomodado aí no peito? Use-o, ora bolas. Não fique protegendo-se de frustrações só porque seu grande amor da adolescência não deu certo. Ou porque seu casamento até-que-a-morte-os-separe durou "apenas" 13 anos. Não enviuve de si mesmo, ninguém morreu. 

Use-se para conseguir uma passagem para a Patagônia, use-se para fazer amigos, use-se para evoluir. Use seus olhos para ler, chorar, reter cenas vistas e vividas – a memória e a emoção vêm muito do olho. Use os ouvidos para escutar boa música, estímulos e o silêncio mais completo. Use as pernas para pedalar, escalar, levantar da cama, ir aonde quiser. Seus dedos para pedir carona, escrever poemas, apontar distâncias. Sua boca pra sorrir, sua barriga para gerar filhos, seus seios para amamentar, seus braços para trabalhar, sua alma para preencher-se, seu cérebro para não morrer em vida.

Use-se. Se você não fizer, algum engraçadinho o fará. E você virará assunto de beira de praia.

Martha Medeiros
Que seja perfeito pra mim...
Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música e de sexo. goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ... Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!

-Martha Medeiros

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Não dá pra esconder o que se sente...


Chegou no apartamento dele por volta das seis da tarde e sentia um nervosismo fora do comum. Antes de entrar, pensou mais uma vez no que estava por fazer. Seria sua primeira vez. Já havia roído as unhas de ambas as mãos. Não podia mais voltar atrás. Tocou a campainha e ele, ansioso do outro lado da porta, não levou mais do que dois segundos para atender.

Ele perguntou se ela queria beber alguma coisa, ela não quis. Ele perguntou se ela queria sentar, ela recusou. Ele perguntou o que poderia fazer por ela. A resposta: sem preliminares. Quero que você me escute, simplesmente.
Então ela começou a se despir como nunca havia feito antes.

Primeiro tirou a máscara: "Eu tenho feito de conta que você não me interessa muito, mas não é verdade. Você é a pessoa mais especial que já conheci. Não por ser bonito ou por pensar como eu sobre tantas coisas, mas por algo maior e mais profundo do que aparência e afinidade. Ser correspondida é o que menos me importa no momento: preciso dizer o que sinto".

Então ela desfez-se da arrogância: "Nem sei com que pernas cheguei até sua casa, achei que não teria coragem. Mas agora que estou aqui, preciso que você saiba que cada música que toca é com você que ouço, cada palavra que leio é com você que reparto, cada deslumbramento que tenho é com você que sinto. Você está entranhado no que sou, virou parte da minha história."

Era o pudor sendo desabotoado: "Eu beijo espelhos, abraço almofadas, faço carinho em mim mesma tendo você no pensamento, e mesmo quando as coisas que faço são menos importantes, como ler uma revista ou lavar uma meia, é em sua companhia que estou".

Retirava o medo: "Eu não sou melhor ou pior do que ninguém, sou apenas alguém que está aprendendo a lidar com o amor, sinto que ele existe, sinto que é forte e sinto que é aquilo que todos procuram. Encontrei".

Por fim, a última peça caía, deixando-a nua
"Eu gostaria de viver com você, mas não foi por isso que vim. A intenção é unicamente deixá-lo saber que é amado e deixá-lo pensar a respeito, que amor não é coisa que se retribua de imediato, apenas para ser gentil. Se um dia eu for amada do mesmo modo por você, me avise que eu volto, e a gente recomeça de onde parou, paramos aqui".

E saiu do apartamento sentindo-se mais mulher do que nunca.



Martha Medeiros
Vai dizer que nunca passou por isso!


Seus pais foram jantar fora e deixaram o apartamento só para você, seu namorado e a tevê a cabo. Que inconseqüentes! Em menos de um minuto vocês deixam a televisão falando sozinha e vão ensaiar umas cenas de amor no quartinho dos fundos. De repente, escutam o barulho da fechadura. Seu pai esqueceu o talão de cheques. Passos no corredor. Antes que você localize sua camiseta, sua mãe se materializa na porta. Parece que ela está brincando de estátua, mas não resta dúvida que entrou em estado de choque. Você diz o quê? Mãe, a carne é fraca.

A desculpa é esfarrapada mas é legítima. Nada é mais vulnerável que nosso desejo. Na luta entre o cérebro e a pele, nunca dá empate. A pele sempre ganha de W.O.

Você planeja terminar um relacionamento. Chegou à conclusão que não quer mais ter a seu lado uma pessoa distante, que não leva nada à sério, que vive contando piadinhas preconceituosas e que não parece estar muito apaixonado. Por que levar a história adiante? Melhor terminar tudo hoje mesmo. Marca um encontro. Ele chega no horário, você também. Começam a conversar. Você engata o assunto. Para sua surpresa, ele ficou triste. Não quer se separar de você. E para provar, segura seu rosto com as duas mãos e tasca-lhe um beijo. Danou-se.

Onde foram parar as teorias, os diálogos que você planejou, a decisão que parecia irrevogável? Tomaram Doril. Você agora está sob os efeitos do cheiro dele, está rendida ao gosto dele, está ligada a ele pela derme e epiderme. A gravação do seu celular informa: seus neurônios estão fora da área de cobertura ou desligados.

Isso nunca aconteceu com você? Reluto entre dar-lhe os parabéns ou os pêsames. Por um lado, é ótimo ter controle absoluto de todas as suas ações e reações, ter força suficiente para resistir ao próprio desejo. Por outro lado, como é bom dar folga ao nosso raciocínio e deixar-se seduzir, sem ficar calculando perdas e danos, apenas dando-se ao luxo de viver o seu dia de Pigmaleão.

A carne é fraca, mas você tem que ser forte, é o que recomendam todos. Tente, ao menos de vez em quando, ser sexualmente vegetariano e não ceder às tentações. Se conseguir, bravo: terá as rédeas de seu destino na mão. Mas se não der certo, console-se. Criaturas que derretem-se, entregam-se, consomem-se e não sabem negar-se costumam trazer um sorriso enigmático nos lábios. Alguma recompensa há de ter.


-Martha medeiros

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Amor, ódio ou indiferença???

O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.

Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.
Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.
Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.

-,Martha medeiros
Mas a gente não escuta só as palavras: a gente ouve também os sinais.
As coisas são como são. Se alguém diz que está calmo, é porque está calmo. Se alguém diz que te ama, é porque te ama. Se alguém diz que não vai poder sair à noite porque precisa estudar, está explicado. Mas a gente não escuta só as palavras: a gente ouve também os sinais.

Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava frio como um iglu. Você falava, falava, e ele quieto, monossilábico. Até que você o coloca contra a parede: "O que é que está havendo?". "Nada, tô na minha, só isso." Só isso???? Aí tem.

Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava exaltado demais. Não parava de tagarelar. Um entusiasmo fora do comum. Você pergunta à queima-roupa: "Que alegria é essa?" "Ué, tô feliz, só isso". Só isso????? Aí tem.

Os tais sinais. Ansiedade fora de hora, mudez estranha, olhar perdido, mudança no jeito de se vestir, olheiras e bocejos de quem dormiu pouco à noite: aí tem. Somos doutoras em traduzir gestos, silêncios e atitudes incomuns. Se ele está calado demais, é porque está pensando na melhor maneira de nos dar uma má notícia. Se está esfuziante demais, é porque andou rolando novidades que você não está sabendo. Se ele está carinhoso demais, é porque não quer que você perceba que está com a cabeça em outra. Se manda flores, é porque está querendo que a gente facilite alguma coisa pra ele. Se vai viajar com os amigos, é porque não nos ama mais. Se parou de fumar, é uma promessa que ele não contou pra você. Enfim, o cara não pode respirar diferente que aí tem.

Às vezes não tem. O cara pode estar calado porque leu um troço que mexeu com ele, ou está falando muito porque o time dele venceu. Pode estar mais carinhoso porque conversou sobre isso na terapia e pode estar mais produzido porque teve um aumento de salário. Por que tudo o que eles fazem tem que ser um recado pra gente?

É uma generalização, mas as mulheres costumam ser mais inseguras que os homens no quesito relacionamento. Qualquer mudança de rota nos deixa em estado de alerta, qualquer outra mulher que cruze o caminho dele pode ser uma concorrente, qualquer rispidez não justificada pode ser um cartão amarelo. O que ele diz importa menos do que sua conduta. Pobres homens. Se não estão babando por nós, se tiram o dia para meditar ou para assistir um jogo de vôlei na tevê sem avisar com duas semanas de antecedência, danou-se: aí tem.

Martha Medeiros
Meu coração é dele...


A pessoa que tá ali sempre comigo, que me entende até mesmo quando eu não me entendo...rsrssrsr
Claroo que não somos perfeitos, mas que graça teria se fossemos??? bom mesmo é o complicado porque o simples é sem graça!
Nossa história daria um filme literalmente falando... A vida sinceramente é uma surpresa! Ele era meu amigo e hoje somos apaixonados... isso me lembra uma música: E quem um dia irá dizer que não existe razões das coisas feitas pelo coração! 
Amar não requer explicação, você sente e pronto! Amar é querer sempre tá perto é sofrer com a ausência e aproveitar sempre a presença... é você se vê na outra pessoa, é um simples gesto, uma simples palavra dita no momento certo! Amar é um detalhe que faz toda a diferença... é um sentimento leve que nos completa... nos enche de alegria...
É muito bom ficar com ele, me coração é dele...
O melhor de nós é a confiança, não vou dizer que não temos ciúmes...mas sabemos lhe dar com ele! Quem ama não sufoca, não tenta mudar a outra pessoa
simplesmente entende! Caso contrário, sinto dizer mas não é amor é doença.
Tenha sempre em mente: O QUE É PRA SER SEU NINGUÉM TIRA...


"Te amo sem saber como, nem quando, nem onde

te amo diretamente sem problemas nem orgulho

assim te amo porque não sei amar de outra maneira."



É como se você não fosse mas você!


Sabe quando tu cansa de ser sempre coerente, santinha, fragilzinha???
Quando cê percebe que ser perfeita não é o melhor, que perfeito só jesus...
Dá aquela vontade de sair gritando, gargalhando d tuudo! é como se você não fosse mas você!
Como se você finalmente tivesse ganhado asas pra voar... 
Isso se chama liberdade...afinal, você faz suas escolhas...o mundo é feito de escolhas ou melhor a V-I-D-A é feita de suas próprias escolhas...
Escolhas que te fazem feliz ou não... a felicidade é  muito subjetiva, cada um tem a sua... independente do que o outro pense, é assim que tem que ser!
Cada um busca ou segue seu caminho, cada um sabe onde "colocar o pé"... se não sabe, a vida ensina! 
Tudo isso é passageiro, estamos aqui de visita, se você não viver tudo que há pra viver, em um instante tudo pode acabar! Não deixe pra amanhã o que pode ser feito hoje! Não viva em vão! Não tente comprar felicidade, ela não está a venda... ela é gratuita, é dada por Deus e está aí bem dentro de você, basta acha-la!
Pra que perder tempo com bobagens??? pra que viver chorando?


L-i-b-e-r-t-e - s-e ... P-e-r-m-i-t-a - s-e !!!










...A maior liberdade que pode existir
 é seguir o que pede
 o coração...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010




É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje...
O dia está na minha frente, esperando para ser o que eu quiser...
Aproveite cada minuto de sua vida, pois tudo que é bom dura tempo o bastante para se tornar inesquecível!






"Todos os dias devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas." 


"Construí amigos, enfrentei derrotas, venci obstáculos, bati na porta da vida e disse-lhe: Não tenho medo de vivê-la."

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

"Eu não me preocupo tanto com o que acham de mim. Quem geralmente acha, não achou, nem sabe ver a beleza dos meus avessos, que nem sempre eu revelo.

O que me salva não é o que os outros andam achando de mim, mas o que Deus sabe a meu respeito.
Eu só dou valor às palavraas e pensamentos produtivos, construtivos, normalmente vindos de pessoas que me amam verdadeiramente."
"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia.
E, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."
Quem foi?

Quem foi que disse que é preciso seguir sempre as oportunidades que aparecem?
Quem foi que disse que se não aproveitarmos essas oportunidades ficaremos parados ao tempo, e que a chance passará e você se arrependerá...
Quem foi que disse que a felicidade está no desconhecido?
Quem foi que disse que dá pra ser feliz sozinho?
Quem foi que disse que ficar na nossa zona de conforto, no nosso território conhecido ruim?
Quem foi que disse que é preciso se jogar para o mundo, para ser corajoso, valente...
Se você souber o autor disso tudo, por favor, diga a ele que estou muito brava com tudo isso e que eu acredito que corajoso mesmo é quem sabe reconhecer a alegria das pequenas coisas, é quem ama as pessoas que estão ao seu redor, e agradece por elas e segue a vida feliz e muito satisfeito com o que possui!


"Me traz você, por favor. E leva embora todas essas coisas chatas que só servem para ocupar minhas horas enquanto você não chega."


"Hoje eu acordei numa casa diferente, num quarto diferente, sem nenhuma muleta, sem nenhuma maquiagem, meus amigos estão ocupados, meus pais não podem sofrer por mim. Hoje eu acordei sem nada no estomâgo, sem nada no coração, sem ter para onde correr, sem colo, sem peito, sem ter onde encostar, sem ter quem culpar. Hoje eu acordei sem ter quem amar, mas aí EU OLHEI NO ESPELHO e vi pela primeira vez na vida, a ÚNICA PESSOA que pode realmente ME FAZER FELIZ." 
"Ela é uma moça de poses delicadas, sorrisos discretos e olhar misterioso. 
Ela tem cara de menina mimada, um quê de esquisitice, uma sensibilidade de flor.
um jeito encantado de ser, um toque de intuição e um tom de doçura.
Ela reflete lilás, um brilho de estrela, uma inquietude,
uma solidão de artista e um ar sensato de cientista.
Ela é intensa e tem mania de sentir por completo, de amar por completo
e de acreditar outra vez.
Ela tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido
de mulher moderna." 


"Tenho aprendido coisas que ainda estão meio vagas dentro de mim, mal comecei a elaborá-las. São coisas mais adultas, acho. Tem sido bom. Amigos cintilam em volta, estendem a mão na hora certa. Você vai se enriquecendo em fé." 



terça-feira, 7 de dezembro de 2010

"Hoje eu não sei dizer. Só sei sentir. Há dias em que as palavras não são capazes de traduzir o sentimento. Bom mesmo é ser compreendido, mesmo quando não sabemos dizer...
Amar é uma forma de crer em silêncio."

...Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não vale...

"Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, preguiça e sono, música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser...
Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não vale. Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca!"







quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ah... o amor!


... e se tenho forças, são todas tuas.

Príncipe Moderno...

Não. Ele não vai chegar num cavalo branco, e você não vai estar de vestido longo rodado: ele vai chegar de avião ou de carro, e você vai estar de jeans, regata e All Star. Ele não vai beijar sua mão: vai pedir seu MSN. Ele não vai fazer uma serenata: vai te mandar um link para você ler a letra de uma música. Ele não vai te dar um buquê de rosas: vai te pagar uma bebida. E isso significa que ele se importa com você. E não, isso não é um problema: esse é o jeito de mostrar que gosta do século XXI. Se esse cara for assim, ele é um cara que realmente gosta de você. O problema só surge quando há plural: existem dois caras que são assim com você. E agora? Pra quem eu passo meu MSN? É normal apaixonar-se por dois ao mesmo tempo. Ou melhor: é normal achar estar apaixonada por dois, porque na verdade nós gostamos apenas de um. O que acontece é que queremos nos sentir desejada pelos dois. Sabemos que ficar sem um deles significa a morte lenta de um pedacinho do nosso coração, mas é preciso deixar morrer. Elogios e carinhos espontâneos respondem 50% da pergunta: qual deles é o príncipe? Sentar ao seu lado apenas para dar “bom dia”, passar por você no corredor da escola e olhar nos seus olhos sorrindo, fazer uma coisa que não gosta (por exemplo: o cara não gosta de Twitter e faz um só para te seguir) por você, ficar meio cambaleando ao andar quando passa por você e até perder o rumo do caminho: atitudes banais e traços reais de um cara apaixonado. Esse é seu príncipe. Mas espere: os dois fazem isso? A realidade é que um, com toda certeza, está mais interessado. Um deles vai ganhar essa luta porque além da sinceridade das atitudes desse cara, você inconscientemente sabe quem te dá mais valor. Não tem erro: um deles te assume mais do que o outro. Um deles fala mais de você com os amigos: o outro desliga o telefone antes de dizer com quem estava falando. Um deles não quer mudar nada em você: o outro nunca te acha suficiente. É difícil escrever sobre algo que é puro sentir, entrar em contato. Sabemos quem realmente gosta da gente. Falsidade não sustenta sorriso por muito tempo. Paz interior vem de quem sentimos que gosta da gente. É difícil nos enganarmos quando há dois para colocarmos na balança. E quem é o príncipe? É aquele que te trata não como princesa, mas como rainha!